António Milheiro

Como atingir a excelência e empreender com sucesso cultivando a ALTA PERFORMANCE (parte 4 de 5)

Índice do Artigo

(Tempo de Leitura: 15 minutos)

Na parte 1 sobre os Hábitos da Alta Performance te falei dos 3 primeiros hábitos – Os hábitos pessoais – dos 6 Hábitos da Alta Performance e

Na parte 2 falei-te do 4º. Hábito – Aumentar a Produtividade (o 1º. dos Hábitos Sociais).

Na parte 3 falei-te do 5º. Hábito – “Desenvolver Influência” (o 2º. Hábito Social) e…

Agora neste artigo falarei do 6º. Hábito (o 3º. Hábito Social) – “Demonstrar Coragem” – para que tu possas implementá-lo em tua vida e possas vir a atingir a Alta Performance.

 

6º. HÁBITO – DEMONSTRAR CORAGEM

“Há duas formas de enfrentar as dificuldades: alterar as dificuldades ou alterar-se a si para as enfrentar.” > Phyllis Bottome

 

As pessoas de Alta Performance são corajosas.

E os resultados mais cotados na coragem relacionam-se com os resultados mais altos em todos os outros hábitos da Alta Performance!

Daí que as pessoas que desenvolvem mais coragem na vida também tendencialmente têm mais Clareza, Energia, Necessidade, Produtividade e Influência!

Muitas vezes, demonstrar coragem significa dar um primeiro passo rumo à uma mudança real num mundo que é imprevisível!

Mas nem toda a gente que tem coragem se torna uma pessoa de Alta Performance, a menos que como disse, possua igualmente os outros hábitos que mencionei!

Estes seis hábitos funcionam juntos para criar sucesso e não é possível tê-lo se um deles não estiver implantado na pessoa para que tenha Alta Performance.

Para avaliares a tua coragem poderás perguntar-te:

  • Eu defendo a minha posição, mesmo quando é difícil?
  • Eu reajo com a prontidão necessária aos desafios e às emergências da minha vida em vez de os evitar?
  • Eu ajo a maioria das vezes apesar de ter medo?

Algumas pessoas têm mais coragem do que outras! E por que razão? Digo que as pessoas com maior probabilidade de demonstrarem altos níveos de coragem são aquelas que:

  • Adoram desafios,
  • São assertivas,
  • São confiantes,
  • Consideram ter alta performance,
  • Admitem ter mais sucesso que os seus pares… e
  • Sentem-se felizes com a sua vida!

E porquê razão as pessoas felizes são mais corajosas?

Porque quando uma pessoa está feliz ela preocupa-se menos consigo própria e pode focar-se nos outros! A felicidade faz pensar e acreditar que se pode fazer coisas incríveis.

Para se atingir um ponto em que se é feliz na vida precisa-se ter desenvolvido autocontrolo e com ele se sente mais capacidade de tomar o controlo de certas situações!

Geralmente pensa-se na coragem como uma virtude humana, que alguns têm e muitos outros não!

Mas isso não é bem assim. A coragem é mais que uma competência, já que qualquer pessoa a pode adquirir!

Dificilmente se admite que possa ser um hábito!

 

Conceitos Básicos da Coragem

“Coragem é resistência ao medo, é domínio do medo; não é ausência do medo”. > Mark Twain

 

A coragem não é ausência de medo, é agir e persistir apesar do medo!

Quanto mais experiência criar a enfrentar o medo, menos medo e stresse sentirá.

Isto aplica-se a todo nós! Quanto mais fazemos alguma coisa com sucesso, ainda que arriscada, mais confortáveis ficamos com isso.

Pense no caso do batismo de um paraquedista e depois de como ele salta seguro e decididamente!

Daí que seja tão importante começar a viver de uma forma mais corajosa já para instalar o hábito de enfrentar as situações mais adversas!

A coragem, como o riso e a alegria, também é contagiosa e o mesmo também é válido para o pânico e ou a cobardia.

Então se lidera ou serve uma equipa e quer que ela seja corajosa, manifeste coragem!

– Muitos tipos de Coragem

Definir e classificar coragem não é fácil, mas é possível concordar que para alguém demonstrar coragem, provavelmente precisam estar presentes um risco, medo e uma boa razão para agir!

Pensa na coragem como a atitude de tomar certas medidas para servir um objetivo autêntico, nobre ou de melhoria de vida, perante o risco, o medo, a adversidade ou a oposição!

Vejamos os diferentes tipos de coragem:

Coragem física

É quando a pessoa se coloca fisicamente em perigo para alcançar um objetivo nobre ou luta pela vida.

Por exemplo, saltar para o mar para salvar um náufrago! Mas se a pessoa não sabe nadar isso não é coragem, é imprudência, porque colocará a sua e a vida do náufrago a perder!

Coragem moral

É quando a pessoa defende os outros ou suporta dificuldades por aquilo que acredita ser certo, para servir um bem maior.

A coragem moral manifesta-se em atos altruístas na proteção de valores ou princípios elevados para benefício do bem comum e está associada à responsabilidade social – fazer a coisa certa!

Por exemplo, impedir alguém de fazer bulling a um desconhecido.

Coragem psicológica

É quando a pessoa enfrenta ou supera as suas próprias ansiedades, inseguranças e medos mentais a fim de:

  • Afirmar o seu verdadeiro Eu em vez de se adaptar, mesmo que alguém não goste!
  • Vivencie crescimento pessoal ainda que seja apenas uma vitória privada!

Coragem diária

É quando mantém uma atitude positiva ou age apesar da incerteza!

Por exemplo, mudar-se para uma cidade nova; agir positivamente apesar de ter pouca saúde ou das dificuldades ou partilhar ideias pouco populares!

“Importante é definir o que coragem significa para ti, ser mais corajoso (a) e começar a viver dessa forma”.

Mas nem todos os atos que desafiam o medo são corajosos como já falei no caso do que salta para o mar para salvar o náufrago!

Os ladrões enfrentam riscos e medos e são corajosos?

Creio que não, porque falta apesar de conter alguns critérios, seus atos são prejudiciais ou destrutivos, faltando a causa nobre!

Não prejudicar é um conceito importante na coragem!

Do mesmo modo, agir apesar do medo nem sempre é coragem!

O exemplo de um adolescente que salta de uma grande altura pelo desafio de ser aceite num grupo é conformidade ou estupidez e não coragem!

Fazer algo ousado também nem sempre é coragem!

Confunde-se muitas vezes superação com coragem. Coragem é muito mais do que apenas superação do medo!

O ato só é considerado corajoso se for concluído ou se terminar com um bom resultado, mesmo quando o resultado desse ato é assustador, arriscado ou incerto!

E o resultado é aquilo que deseja e é algo muito importante como no caso de salvar alguém dentro duma casa em chamas ou saltar e empurrar alguém para fora da estrada para não ser atropelado!

As pessoas são capazes de coisas extraordinárias que jamais poderiam prever e nunca descobririam se não tivessem agido.

Na coragem há surpresa e esta é fruto de ação!

Na verdade, esperar coisas boas sem agir é como esperar ajuda sem a pedir!

As pessoas de Alta Performance não falam sobre adiamentos e não se queixam! Nós, por norma, retraímo-nos quando as queixas que nos chegam não são rapidamente associadas a trabalho real em direção ao progresso.

Por isso: Não se queixe! “AJA”!

As pessoas de Alta Performance sabem aquilo que temem e, por isso, preparam-se para enfrentar. Estudam, arranjam mentores e depois enfrentam os seus medos. Nunca ficam paralisados!

Apenas quando os nossos medos se tornam o nosso plano de evolução é que estamos no caminho e na direção da mestria.

Por fim devo dizer-te que a coragem é julgada com mais frequência sobre o próprio olhar do ator.

Por isso, o mais importante é verificares se estás a viver de forma suficientemente corajosa neste momento na tua vida!

E sentires que o teu EU MELHOR te diria para te aventurares!

Para fazeres isso precisas ir além daquilo que é básico e olhares para os teus medos e obstáculos de uma nova forma e para isso precisas implementar três práticas de Alta Performance:

 

1ª. Prática – HONRE A LUTA

 

“Ter sucesso é dar à luta cem por cento do teu esforço, corpo, mente e alma”

  • John Wooden

 

Há tanta gente que não vive de forma corajosa.

Sabe que devia afirmar-se. Mas não o faz!

Quer enfrentar medos e assumir riscos, mas não o faz.

Diz que vai ser mais ousada, lutar por sonhos maiores, ajudar as pessoas de forma nobre e significativa, mas não o faz!

Já aconteceu contigo ficar frustrado (a) com os outros ou contigo mesmo (a) por causa da incapacidade de agir mais ousadamente?

Porquê?

A questão é tão só de mentalidade!

Enquanto sociedade, hoje somos menos corajosos porque evitamos as lutas e essa decisão priva-nos do carácter vitorioso e deixa-nos uma força subdesenvolvida!

E a o carácter e a força são dois dos ingredientes-chave da coragem.

Na sociedade atual vivemos, em geral, com mais abundância e mais facilidade de acesso àquilo que desejamos e necessitamos.

Só que, o que parece uma bênção pode ter o seu lado perverso, que é as pessoas tornarem-se resistentes a lutar!

Hoje está fora de moda qualquer recomendação que exija esforço real, tentativa, dificuldade ou persistência, resiliência ou sair da zona de conforto!

Reina a facilidade e a conveniência. Se estas não estiverem presentes as pessoas desistem facilmente!

Sendo assim, se desistem ao primeiro vislumbre de dificuldade, quais são as +probabilidades de persistir quando tiver que enfrentar um medo ou uma ameaça real?

Só aprendendo a lidar melhor com os desafios básicos da vida poderemos desenvolver a força que a coragem precisa!

É preciso aprender a ver nas dificuldades parte integrante e importante do desenvolvimento do carácter!

É preciso aprender a honrar as dificuldades!

Mas as pessoas, genericamente, detestam desafios, são preguiçosas e trocam o crescimento como pessoa pelo conforto e pela segurança!

Isto é incentivado pela comunicação social a cada momento com dicas e truques moldados para nos tornar a vida demasiado fácil e afastar de qualquer pressão ou dor!

Estamos rodeados de influências a nos convencer de que não é suposto lutarmos, que a vida deve ser um fluxo fácil!

Agora imagina o que esta “crença”, este novo paradigma está a fazer às nossas capacidades! Como é que as vamos desenvolver sem sair da área de conforto? Paradoxo!

“Se continuarmos a dizer às pessoas para fazerem o que é fácil, porque elas alguma vez pensariam fazer o que é difícil?”

Só que a vida não é fácil! Para nascermos foi necessário dor e esforço, para crescer também e igualmente o será para nos afirmar!

E isto não acontece só aos humanos!

Na natureza a mudança faz parte da evolução e toda a mudança exige sair da área de conforto para a área de desconforto, logo isso traz dor e esforço!

Felizmente muita gente está a descobrir que o fácil não é suficiente!

Que para alcançar excelência é necessário trabalho árduo, disciplina, rotinas, frustrações, aprendizagens, resiliência e sobretudo coragem!

Exige-se intencionalidade e o domínio de hábitos complexos que se instalam com foco, luta e total empenho durante longo e necessário tempo!

As gerações passadas, que nos trouxeram até esta era de desenvolvimento, sabiam que ter uma vida confortável, sem dificuldades e sem paixão nunca foi o objetivo!

O lema era que o “trabalho” e as dificuldades são o fogo no qual é forjado o carácter vencedor e de líder! Honravam as dificuldades!

Se queremos deixar um futuro promissor às novas gerações não podemos deixar de aprender o carácter de vencedor!

“Quando aprendemos a ver as dificuldades como necessárias, importantes e uma parte positiva da nossa viagem pela vida, então, podemos encontrar a verdadeira paz e o poder pessoal”

 

As Duas Histórias Humanas

 

“Nunca deveria encarar as suas dificuldades como uma desvantagem. Em vez disso, é importante que compreenda que a sua experiência a enfrentar e superar a adversidade é, na realidade, uma das suas maiores vantagens competitivas.”

  • Michelle Obama

 

Na história da Humanidade só há duas narrativas: “Luta” e “Progresso”! E não é possível a segunda sem a primeira. Todos os altos e baixos são o que nos torna humanos, vivenciando esta natureza!

Temos de aceitar que a luta ou nos destrói ou nos faz evoluir e a mais difícil das verdades humanas de aceitar é que, em última análise, a escolha é sempre tua!

As pessoas da Alta Performance, além da gratidão, sentem uma verdadeira reverência pelos desafios da vida, porque os sentem como parte do processo, da própria vida que querem honrar!

E honrar a viagem não significa aceitar as adversidades e aguentar os “murros” sem fazer nada para melhorar.

Significa apenas adotar a mentalidade de que enfrentar e tentar aprender com a experiência pode fazer sobressair o melhor de si.

As dificuldades da vida que não pode evitar ou mudar, embrenhe-se nelas de corpo e alma!

 

Duas máximas:

  • Aceita a chatice!

É preciso lidar com ela, enfrenta-a e dispõe-te a perseverar e a estar à altura e não te queixes do esforço envolvido para chegar onde queres e deves!

  • Tu vais superá-la!

Pode até ninguém estar a ver ou a reconhecer o teu potencial, nem mesmo concordar com a tua visão!

O fato do céu estar nublado não significa que não haja sol!

Confia que as coisas vão correr bem.

Tem fé em ti e no futuro.

Lembra-te que és mais forte do que pensas e que o futuro te reserva coisas boas!

 

Exercício prático

Para honrar a luta questiona-te e encontra as tuas respostas:

  • Qual a dificuldade que tenho enfrentado na vida?
  • Qual seria a forma como podia mudar a minha perspetiva desta dificuldade?
  • O que seria, se algo de ótimo pudesse advir desta dificuldade?
  • Qual a forma como escolho receber as inevitáveis dificuldades da vida daqui em diante?

 

2ª. Prática – PARTILHE A SUA VERDADE E AMBIÇÕES

 

“Até onde me é dado a perceber, não é possível fazer grande bem sem perturbar alguma coisa ou alguém”.

  • Edward Blake

 

A principal motivação da humanidade é ser livre, expressar a sua verdadeira natureza e perseguir os seus sonhos sem restrições, vivenciando ao que se pode chamar de liberdade pessoal!

Os nossos espíritos se elevam quando nos sentimos livres de medo ou do peso da conformidade, isto é, quando vivemos a nossa própria verdade.

Quando vivenciamos a nossa verdade e expressamos quem de fato somos, a forma como nos sentimos, aquilo que realmente desejamos e sonhamos, então somos autênticos e livres. E isto exige coragem.

As pessoas sempre falam como querem ser verdadeiras, contudo sê-lo envolve muito julgamento e rejeição e por isso criam receio de não estar à altura das expectativas dos outros.

Diria que a única altura em que se deves tentar estar à altura da ideia que outra pessoa tem de ti ou daquilo que tu és capaz, é quando essa pessoa for, para ti, um exemplo a seguir e te estiver a apoiar.

Se alguém acredita em ti e vê grandes coisas em ti, é óbvio que deves tentar estar à altura!

Mas quando se trata de alguém que duvida de ti ou te menospreza, esquece lá isso! Jamais te incomodes a tentar agradar-lhe.

Vive a tua vida e nunca procures a aprovação de quem duvida de ti e não te apoia ou motiva a cresceres.

O único caminho que te resta é expressares a tua verdade pessoal e perseguir os teus próprios sonhos!

O que quer que faças haverá sempre juízos de valor. Nunca deixes as críticas desviarem-te das tuas convicções.

Se acreditas no teu sonho, mantém-te nesse caminho, porque a única permissão de que necessitas é aquela esperança que te causa formigueiro na alma!

 

Desvalorizarmo-nos a nós mesmos

 

“só quem arrisca ir longe demais pode descobrir quão longe é possível ir.”

  • S. Eliot

 

Um tipo de medo, que as pessoas muitas vezes expressam, é a preocupação com o fato de, ao serem o seu melhor, poderem fazer os outros sentirem-se insuficientes ou diminuídos!

Ora, tu não tens que te desvalorizar para que os outros possam sentir-se bem consigo mesmos.

 

Uma mensagem importante:

 “Não se atreva a diminuir-se, amigo (a). Não se sinta culpado (a) por ter objetivos elevados. Esses sonhos foram plantados na sua alma por alguma razão e é seu dever honrá-los. Não se contenha na vida apenas para confortar ou apaziguar quem o (a) rodeia. Conter-se não é humildade, é mentir. Se as pessoas da sua vida não conhecem os seus verdadeiros pensamentos, sentimentos, necessidades e sonhos, não as culpe. É a sua falta de voz ou de vulnerabilidade ou poder, não é a falta de compreensão ou de ambição deles que está a construir uma barricada ao seu potencial. Partilhe mais e terá relacionamentos verdadeiros que o (a) podem apoiar, galvanizar e elevar. Mesmo que não o (a) apoiem nem acreditem em si, pelo menos viveu a sua vida. Pelo menos põe as cartas todas na mesa. Pelo menos honra as esperanças do seu coração e o chamamento da sua alma. No fato de se expressar totalmente reside a sua liberdade. Amigo (a), o seu próximo nível de performance começa no seu próximo nível de verdade.”

  • Brendon Burchard

 

Se estás a engolir os teus verdadeiros pensamentos e sonhos só para “te adaptar” ou fazer os outros sentirem-se melhor, então, não os podes culpar nem a ninguém.

Estás a estrangular-te a ti mesmo e, quando o fazes, estás também a matar os teus relacionamentos!

Ninguém suporta e quer estar conectado a uma pessoa falsa.

E ninguém consegue calar ninguém sem que a pessoa o permita.

Ninguém consegue desvalorizar a autoimagem de ninguém, a não ser que o próprio o permita.

Também ninguém consegue abrir ninguém e libertar todo o seu potencial a não ser o próprio!

Medo ou Liberdade? Uma escolha é a prisão e a outra é a coragem!

Uma pessoa bem-sucedida não consegue atingir o nível seguinte de sucesso se ambicionar silenciosamente, se não quiser partilhar ou falar dos seus sonhos, se tenta ser “conveniente”, “realista” ou “ponderada” e fazer ou outros sentirem-se “confortáveis” e muito menos se não pede ajuda.

Se não pede ajuda, as pessoas certas não podem entrar na sua vida.

As pessoas que estão na sua vida pelas razões certas vão ouvir a sua verdade.

Essas pessoas vão aplaudir a sua ambição e ficarão felizes por conhecer a pessoa por detrás do rosto.

Elas vão agradecer-lhe por partilhar, por ser verdadeiro e por confiar nelas.

Confia aos outros a tua verdade, e os valores dourados da verdadeira amizade e do verdadeiro amor revelar-se-ão como tesouros perdidos e achados na tua vida!

Não te queixes, age! Não critiques, aplaude! Não te conformes, vive a tua verdade! Não sejas egoísta, serve! Não vás pelo caminho mais fácil, ambiciona crescer e ter uma vida extraordinária!

E quando as coisas porventura estiverem a correr mal, mantém-te fiel ao melhor daquilo que és, pois é nesses momentos que estás a forjar quem virás a ser!

 

As Conversas Simples

 

Se te queres conectar de forma autêntica com os outros a coisa mais importante é partilhares os teus verdadeiros desejos com eles.

E eles não têm de aprovar nem ajudar nem de pensar contigo. Isto não é sobre eles, mas sobre ti, do fato de teres coragem para te abrires com eles, tal como o Universo também se mantém aberto para ti.

Experimenta. Todos os dias, revela aos outros um pouco mais daquilo que estás a pensar, a sentir e a sonhar!

Este hábito diário não se forma com uma única conversa momentânea com toda a gente que conheces.

Forja-se, em vez disso, em tornar a partilha de pensamentos e objetivos uma prática diária.

Então, todos os dias, partilha alguma coisa com alguém sobre aquilo que realmente pensas e queres da tua vida

Por exemplo:

  • Estava a pensar começar a procurar outro trabalho, porque gostava de me sentir mais apaixonado (a) e envolvido (a).
  • Estava a pensar começar a ir ao ginásio todas as manhãs, porque gostava de me sentis com mais energia.

 

A fórmula é simples: – O que queres partilhar? – Seja o que for, partilha-o! – Em seguida, age de forma ousada todos os dias para tornares isso realidade na tua vida!

Exercício prático

  • Algo que quero mesmo fazer e não partilhei ainda com pessoas suficientes é …,
  • Se fosse ser mais “Eu” na minha vida diária, começaria por …,
  • Quando me exponho e alguém goza comigo, vou começar a …,
  • Um grande sonho meu que vou começar a contar às pessoas e para o qual vou começar a pedir ajuda é ….

 

3ª. Prática – ENCONTRE ALGUÉM POR QUEM LUTAR

 

“Não sei qual serão vosso destino, mas sei uma coisa: Os únicos entre vocês que serão verdadeiramente felizes são os que tiverem procurado e encontrado alguém a quem servir”.

  • Albert Schweitzer

 

Sabemos quando sentimos coragem, porque de alguma forma tomamos uma decisão em que apostamos tudo.

Muitas vezes, não vem de nós, vem sim de querermos servir outra pessoa, amar o outro, lutar pelo outro, seja descendente, conjugue ou qualquer outra pessoa na nossa vida!

Fazemos mais pelos outros do que por nós mesmos. E ao fazermos algo pelos outros, encontramos a nossa razão para a coragem e a nossa causa para o foco e a excelência.

Trabalho eu e minha esposa em parceria com uma Empresa Multinacional, cujo lema, com o qual nos identificamos totalmente, é:

“Ao ajudar os outros a realizarem os seus sonhos, realizamos os nossos”!

As pessoas com Alta Performance sempre falam de alguém que as inspirou a serem excelentes.

E todas tinham uma razão e essa razão era muitas vezes uma pessoa, nem sempre um propósito ou um grupo de pessoas.

Hoje em dia é frequente a nossa cultura enfatizar a busca do nosso propósito de vida.

E é sempre esta monumental e fantástica causa destinada a “mudar o mundo” e a “beneficiar milhões” que muita gente procura e alguns encontram esse propósito superior e é algo maravilhoso de ter!

A coragem, em geral, sugere mais que as pessoas façam coisas por causas nobres que as ultrapassem. Contudo para as pessoas de Alta Performance, essa causa nobre geralmente é apenas uma pessoa ou algumas pessoas.

Não sinta que tem de procurar o seu propósito muito longe. Quem sabe, alguém ao seu lado ou à sua volta precise que esteja lá para ele, se o fizer, talvez espolete alguns dos seus poderes.

A coragem, por vezes é um ato espontâneo, mas geralmente é uma expressão ou ação construída a partir de anos a gostar de algo ou de alguém.

Por isso comece a procurar coisas e pessoas de que gosta e dê, importe-se profundamente com algo agora. Defenda algo agora e, depois, será mais provável que encontre coragem quando for importante.

 

Exercício prático:

  • Uma ação corajosa que farei esta semana, porque alguém que eu amo precisa que eu faça, é…,
  • Outra ação corajosa que farei esta semana, porque uma causa em que acredito precisa que o faça, é…,
  • Outra ação corajosa que farei esta semana, porque o meu sonho assim o exige, é….

 

Coragem através da complexidade

 

“A coragem e a perseverança têm um talismã mágico perante o qual as dificuldades desaparecem e os obstáculos se esfumam no ar.”

  • John Quincy Adams

 

Tal como o Universo não se torna menos complexo, a vida também não tende a tornar-se mais fácil, porque ela é uma escola de aprendizagem contínua e aprender sempre exige esforço e dedicação.

Mas, neste processo, as pessoas ficam mais fortes. Aprendem a dar mais de si mesmas, a lidar melhor com as coisas e a ser mais verdadeiras e mais conscientes perante os juízos de valor e as adversidades.

Portanto, aconteça o que acontecer, acredita mais em ti e avança!

O nível seguinte abre-se após o próximo passo corajoso.

E depois de mais e mais desses passos corajosos, um dia vais olhar para trás com respeito por ti próprio (a).

Certamente que o tipo de atos corajosos de que te orgulharás no final da tua vida são aqueles em que enfrentaste a incerteza e um risco real, com coisas reais em jogo, quando fizeste alguma coisa por uma causa ou uma pessoa para além de ti próprio (a), sem nenhuma garantia de segurança, recompensa ou sucesso.

De fato para a maioria das pessoas, os atos corajosos são acontecimentos raros.

Mas recordar esses atos faz moldar a noção de nós próprios e as nossas vidas, tanto quanto as pequenas coisas.

Assim, para que prepares a tua mente no sentido de teres ainda mais coragem, tem muitas vezes em atenção as seguintes perguntas:

  • O que tenho evitado fazer na minha vida pessoal, que pode envolver dificuldades, mas pode melhorar a vida da minha família para sempre?
  • O que podia fazer no meu trabalho que exigisse arriscar “o meu pescoço”, mas também iria mudar muito as coisas para melhor e ajudar as pessoas?
  • Que decisão podia tomar que demonstrasse um compromisso moral com algo mais elevado do que eu?
  • Como poderia convencer-me a enfrentar uma situação que, geralmente, me deixe nervoso e ansioso?
  • Que mudança poderia fazer que me assusta, mas iria ajudar alguém que amo?
  • De que coisa boa me podia abster para avançar com a minha vida?
  • O que tenho querido dizer às pessoas que me são próximas e quando e como declararei de forma corajosa essa verdade?
  • Quem precisa de mim e por quem lutarei durante o resto deste ano?

 

Faz estas perguntas tantas vezes quantas necessárias e pratica os hábitos da coragem e chegarás à seguinte verdade:

“Lá bem no fundo, longe de todo o ruído à tua volta, onde o amor aquece o teu coração e os teus sonhos aguardam, não tens medo”!

Gostaste deste artigo? Partilha!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Pensamos que poderás gostar destes Artigos Relacionados com o que acabaste de ver!