António Milheiro

Como atingir a excelência e empreender com sucesso cultivando a Alta Performance (parte 2 de 5).

Índice do Artigo

(Tempo de Leitura: 12 minutos)

Na parte 1 sobre os Hábitos da Alta Performance falei dos 3 hábitos pessoais.

Falta falar dos 3 restantes, os hábitos sociais.

O 1º DOS HÁBITOS SOCIAIS

Este artigo trata do primeiro hábito social, AUMENTAR A PRODUTIVIDADE.

No final do artigo serás capaz de implementar práticas para desenvolveres este hábito tão importante na Alta Performance.

 

Já há mais de dois mil anos, o filósofo grego Aristóteles garantia:

“A excelência não é uma ação, mas um hábito.”

 

4º. HÁBITO DA ALTA PERFORMANCE – AUMENTAR A PRODUTIVIDADE.

 

Não há sensação mais desagradável que uma pessoa possa sentir que estar incrivelmente ocupada, executar inúmeras tarefas e, no entanto, sentir que não está a progredir, apesar de estar a dar o seu melhor!

E pior ainda é com essa ocupação intensa estar a dar cabo da sua saúde e a comprometer o seu bem-estar, sabe-se lá, por vezes, de forma irremediável!

Por isso encontrar a felicidade é algo acima de tudo relevante porque muita gente acaba por acreditar que não consegue mais e melhor na direção desse propósito sem comprometer o seu bem-estar ou equilíbrio.

Mas acredita que tal não corresponde à verdade.

As pessoas de alta performance encontraram uma maneira de produzir mais e melhor sem afetar o seu equilíbrio físico, emocional e mental.

Alem de produzir mais e melhor se sentem sempre mais entusiasmados com o que fazem.

Mas então como produzem mais e melhor as pessoas de alta performance mantendo o seu bem-estar e equilíbrio?

Têm hábitos muitos hábitos deliberados e que também tu podes aprender e implementar na tua vida.

Lembra-te:

Para extraíres o máximo destes conhecimentos que vais ter acesso, importa que abandones de forma definitiva a noção pré-concebida que tenhas sobre equilíbrio entre trabalho e a tua vida pessoal.

Importa ainda que abandones as convicções sobre se procurar realizações tangíveis na vida é um objetivo válido!

O mais importante é que tenhas uma atitude de mente aberta, porque ao dominares este hábito, as consequências na tua vida poderão ser muito mais vastas em todas as áreas da tua vida, em particular na forma como te sentirás em relação a ti próprio e ao mundo em geral.

 

Conceitos Básicos de Produtividade

O que está na base para te tornares mais produtivo associa-se com:

– Definir objetivos

– Manter a energia

– Manter o foco.

  • Toda a produtividade começa com objetivos!

Com objetivos claros e sobretudo desafiantes, tu tendes a estar mais focado e envolvido e isso te conduz a uma maior clareza de fluxo e de prazer naquilo que estás a fazer!

E quando tens mais prazer carregas naturalmente a motivação e esta está relacionada de forma direta com a tua produtividade em termos de quantidade e de qualidade.

  • A energia é outro aspeto de elevado valor na tua produtividade.

A este respeito já vimos na parte 1, quando falamos de energia, o quão importante é tu te alimentares de forma saudável, hidratares-te, dormires bem e o número de horas adequadas, fazeres exercício físico regularmente para teres índices de vigor que será intensificador da tua produtividade.

Lembra-te que para manteres índices elevados de energia é preciso também teres hábitos de positividade, alegria e gratidão.

  • Finalmente se tu queres ser produtivo tens de te manter focado no foco!

É claro que nos dias atuais não é fácil manter o foco tanto mais que somos assediados com demasiada informação, distrações e interrupções ao longo do nosso processo produtivo e que naturalmente comprometem não só a nossa capacidade produtiva, como até a nossa saúde!

Então uma dica é que não comeces o teu dia a verificar os teus e-mails.

A distração é outro aspeto que precisas manter afastado de ti se queres realmente ter uma produção acima da média.

Fazer várias coisas ao mesmo tempo, de per si, já é uma distração.

É incompatível com o estado de concentração absoluta que está associada á Alta Performance, ao trabalho de qualidade e á alta produtividade.

É sempre preferível criares blocos de tarefas e te dedicares a cada um por um tempo sem mais distrações.

Por isso deves tornar-te muito disciplinado na definição dos teus objetivos, na manutenção ou elevação da tua energia e sobretudo no teu foco.

 

O EQUILÍBRIO ENTRE O TRABALHO PRODUTIVO E A VIDA PESSOAL

       “Uma das formas mais comuns da pessoa moderna enganar-se a si própria é manter-se ocupada” > Daniel Putnam.

Estar ocupado não é sinónimo de estar a produzir!

O equilíbrio entre trabalho produtivo e vida pessoal não é impossível!

Impossível é aquilo que é limitado pelas nossas próprias crenças!

Por isso acreditares que é impossível um melhor equilíbrio estre o teu trabalho produtivo e a tua vida pessoal é o início da tua impossibilidade de tornar isso real na tua vida!

Aí já perdeste a batalha antes de a começares e na “guerra” já és um vencido à nascença!

Como pode alguém, de mente sã, dizer que é impossível?

Só se não olhar para a Humanidade em retrospetiva e lembrar-se:

Que fizeram comunidades para viver em sociedade, cruzaram oceanos, subiram às mais altas montanhas, foram às profundezas oceânicas, construíram arranha-céus, alunaram e guiaram veículos para além do nosso sistema solar!

Será que o teu esforço para encontrar esse equilíbrio é tanto quanto o que já usaste para alcançares outros empreendimentos em que foste bem-sucedido?

O importante é manteres a mente aberta e compreenderes que um dos principais obstáculos para alcançares equilíbrio entre trabalho produtivo e vida pessoal é a forma como abordas este assunto.

“O grande erro que a maioria das pessoas comete é pensar no equilíbrio entre

trabalho produtivo e vida pessoal em termos de distribuição equitativa de horas!”

Ter a expectativa entre quantidade versus qualidade e, confundirmos as duas, é garantia de problemas!

Lembra-te que a maioria das pessoas têm equilíbrio em termos de horas porque trabalham em média 30 por cento da vida, dormem outros 30 por cento e os restantes 40 por cento dedicam a vida pessoal!

A questão é a falta de intenção no que toca ao tempo que têm para a sua vida pessoal e por isso não desfrutam o suficiente!

A questão é de em vez de tentar equilibrar horas, tentar equilibrar preenchimento, felicidade e progresso nas principais áreas da vida!

Se sentes que não há equilíbrio é porque uma das áreas da tua vida se tornou mais intensa, importante e consumidora de tempo do que as outras!

A solução pode passar por manteres o foco na qualidade ou no progresso das principais áreas da tua vida!

Dica: Faz uma simples revisão semanal daquilo que queres nas principais áreas da tua vida e cria ajustes!

Para facilitar isso podes organizar a tua vida em dez categorias: 1-saúde, 2-família, 3-amigos, 4-finanças, 5-missão/trabalho, 6-relacionamento íntimo, 7-crescimento/desenvolvimento, 8-diversão, 9-emoções e 10-espiritualidade.

Dica: Avalia a tua felicidade numa escala de 1 a 10 com regularidade e escreve os teus objetivos para cada uma dessas áreas todas as semanas e persegue-os! Por fim mede os resultados todas as semanas!

“Se não medir de forma consistente as principais áreas da vida,

não é possível saber qual é o equilíbrio que procura!”

Outra distinção que geralmente não é feita em relação ao equilíbrio trabalho produtivo-vida é que não se trata tanto de distribuir equitativamente as horas, mas mais os sentimentos envolvidos em cada vivência.

Que harmonia sentes em cada ação no teu dia a dia independentemente da área da tua vida?

É importante viveres em harmonia com aquilo que realmente desejas e fazer as atividades necessárias para obteres a clareza quanto a isso de que já falei na parte 1. Da Alta Performance.

Vais te sentir sempre desequilibrado se estiveres a fazer trabalho ou qualquer outra ação que não consideras significativo e envolvente!

Por vezes a envolvência é tanta que se passa demasiadas horas numa mesma atividade, acabando por torna-se esgotante pela linha entre atarefado(a) e esgotante se tornar demasiado ténue!

Estar esgotado numa área da vida facilmente perturba as restantes!

O que podes fazer?

Dica: Quando falamos da energia falei de como melhorar nas transições entre atividades, libertar tensão, dormir mais, fazer exercício, comer melhor e estabelecer pomodoros (intervalos de relaxamento do corpo e da mente a cada 50 minutos de atividade e pausar 10 minutos/transição).

“Há virtude no trabalho e há virtude no descanso. Use ambos e não descure nenhum” > Alan Cohen

Lembra-te:

As horas passadas em casa ou as horas usadas no trabalho não são o problema. A haver problema está nos sentimentos que estão associados à forma como vives essas horas e na sensação geral de energia que tens.

AGORA VOU FALAR-TE DAS PRÁTICAS QUE DEVES IMPLEMENTAR PARA AUMENTARES A TUA PRODUTIVIDADE SEM DESEQUILIBRAR AS OUTRAS ÁREAS DA TUA VIDA:

 

PRÁTICA 1. AUMENTA OS RESULTADOS QUE TE INTERESSAM

“Não há nada menos produtivo do que tornar eficiente uma coisa que nem devia ter sido feita.” Peter Drucker

Para te tornares extraordinariamente produtivo(a) precisas perceber quais são os resultados que te interessam na tua área.

As pessoas de Alta Performance dominam a arte de produção prolífica de qualidade.

Isto é, dirigem a atenção e os esforços consistentes para a produção prolífica de qualidade e minimizam as distrações (incluindo oportunidades) que as afastariam do seu propósito.

Descobrir aquilo que é suposto produzir e saber quais são as prioridades na criação, na qualidade e na frequência da produção é um dos maiores progressos que pode fazer na sua carreira!

Onde quer que se encontre produção prolífica de qualidade, parece que o progresso, a prosperidade e a riqueza vem a seguir!

Um dos momentos de grande descoberta na vida pode vir de percebermos que os resultados pelos quais estamos a ser recompensados não são excitantes nem nos realizam.

Quando se descobre isso, está na altura de honrar essa verdade e de fazer uma mudança.

Foi isso mesmo que descobri e fiz num dado momento da minha vida!

(QUERES SABER COMO, VÊ AQUI O VIDEO DA MINHA HISTÓRIA DE VIDA)

Os resultados numa carreira não se devem particularmente a ser-se especial ou talentoso.

Os resultados acontecem muito porque o foco na produção prolífica de qualidade que interessa para essa carreira é mantido, é dado todo o empenho, toda a atenção obsessiva e dedicação sem parar ao longo do tempo necessário!

E a razão por que a grande parte das pessoas não se foca na produção prolífica de qualidade é a procrastinação e o perfecionismo.

E a procrastinação não é da mente humana, nem faz parte da personalidade de alguém, nem é o resultado de parcas capacidades de gestão de tempo, mas antes de mais uma questão de motivação!

E motivação é o motivo (propósito) para a ação!

Então se não trabalhas em coisas que são intrinsecamente importantes para ti é normal que procrastines.

Muito raramente a procrastinação poderá ainda estar ligada a ansiedade ou medo de fracassar, mas maioritariamente surge por trabalhares em coisas que não te excitam, não criam em ti envolvimento ou interesse.

Se adorares aquilo que está a criar ou o que contribuis para o mundo, dificilmente irás procrastinar, ou procrastinarás muitíssimo menos.

Podemos todos encontrar razões para ser difícil ser mais produtivo.

Esqueçamos isso e em vez de gastarmos mais energia mental nisso, importante é trabalhar sem esquecer o que é mais importante:

– Foco

– Produção de coisas reais de que nos orgulhemos.

3 DICAS PRÁTICAS:

QUESTIONA-TE?

  1. Os resultados que mais interessam na minha carreira são…,
  2. As coisas que podia deixar de fazer para me focar mais na produção prolífica de qualidade são… e
  3. A percentagem de tempo semanal que vou dedicar à na produção prolífica de qualidade é… e as formas como o farei são…

 

PRÁTICA 2. REGISTA AS TUAS CINCO ETAPAS DECISIVAS

Nós humanos somos extraordinários malabaristas, somos multifacetados!

Por isso a maioria das pessoas atinge os seus primeiros níveis de sucesso através da capacidade de fazer, de forma excelente, várias tarefas ao mesmo tempo.

Mas quando começam a fazer muitas coisas, sem uma trajetória unificadora, começam a perder o seu poder!

Depois perdem a paixão e o problema é que maioritariamente as pessoas não têm um plano para longo prazo.

Esta falta de planeamento a longo prazo deriva do fato de não ser necessário um grande plano para tarefas simples, que por norma, exigem passos óbvios e ações independentes.

Já para ações e objetivos complexos, planear é fulcral, porque há uma variedade de estratégias que pode ajudar a alcançar o objetivo, e algumas são mais eficazes ou desejáveis do que outras.

Assim quanto mais ambicioso o teu objetivo, mais há para gerir e mais pontos de interação com outras pessoas existem.

Para te tornares uma pessoa de Alta Performance é necessário pensar mais antes de agir!

Com isto não quero dizer que é necessário teres todo o percurso e cada uma das tarefas planeadas antecipadamente.

O que é comum no decorrer do percurso do projeto a longo prazo é que, definido um plano o melhor possível, se faça ajustes e se vá decidindo as coisas no seu devido tempo.

É como teres um projeto de construção duma casa, e ao longo da obra vais ajustando os pormenores que sejam tidos pertinentes com o teu propósito!

Então ter um plano (projeto) e segui-lo, passo a passo, é mais importante do que pensas!

Um plano foca o pensamento disperso. E mais ainda, quando concluis uma tarefa vital da tua lista, isso faz disparar a dopamina no teu cérebro, o que te faz sentir tanto recompensado como mais motivado a continuar.

Um plano, além de aumentar a tua probabilidade de terminar uma atividade, aumenta a tua alegria durante a execução do projeto e os teus recursos cognitivos disponíveis para o próximo objetivo.

Agora questiona-te:

“Se só tiveres cinco etapas importantes para realizares um objetivo, quais seriam elas?”

– Pensa em cada etapa importante como um grande conjunto de atividades, um projeto.

– Esses cinco projetos grandes que te conduzirão a alcançares o teu sonho devem depois ser cada um deles decomposto em coisas concretas, prazos e respetivas tarefas para serem materializadas.

– Certo dessas coisas, coloca-as na agenda, calendariza-as em blocos durante os quais não fazes mais nada senão progredir na direção da consecução do objetivo do bloco.

– Deves estar apto a veres na tua agenda semanal e mensal as tuas grandes etapas e todos os passos.

– Deves monitorizar os resultados no sentido de estares ciente de que segues na direção certa!

– Se fizeres tudo isto e garantires que as etapas estão alinhadas com a tua produção prolífica de qualidade, estás no bom caminho.

– Se, com melhor planeamento e execução focada, puderes fazer em alguns meses o que te levaria um ou mais anos, então porque não planear e focar?

Conhece as tuas 5 etapas do teu projeto, trabalha com afinco nelas e pensa sempre nos próximos passos que te ajudarão a produzir algo mais significativo, do qual te sintas verdadeiramente orgulhoso (a), algo que te torne extraordinário (a)!

 PRÁTICA 3. TORNA-TE INCRIVELMENTE ÁGIL EM COMPETÊNCIAS-CHAVE

“Creio que a verdadeira estrada do sucesso proeminente em qualquer área da vida é tornar-se mestre nessa área.” > Andrew Carnegie

Quanto maior a competência, maior a capacidade produtiva.

Não ter as competências é um grande défice!

Precisas dominar as principais competências necessárias para a tua principal área de interesse.

Sem mais aquisição de competências não pode existir progresso.

Daí ser importante identificares as principais competências que precisas desenvolver para prosperares hoje e futuramente.

As competências genericamente mais importantes incluem comunicação, equação e resolução de problemas, pensamento sistémico, gestão de projetos, trabalho em equipa e gestão de conflitos.

Há depois competências específicas para cada tarefa e competências pessoais, como autocontrolo, resiliência e outras formas de inteligência emocional.

Então procura determinar as cinco competências que mais necessitas desenvolver nos próximos três anos para te tornares na pessoa que queres ser e trabalha-as!

Lembra-te: Tudo é suscetível de ser treinado! Basta que te disponibilizes e te determines a fazê-lo!

Só precisas ter uma atitude de crescimento! E observa a Natureza…, nela tudo o que não cresce, definha e morre!

E a melhor forma de cresceres é aprendendo através do processo de “mestria progressiva”.

Assim sempre que queiras dominar uma competência, tens duas hipóteses de para o fazer:

Podes esperar desenvolver essa competência através do método da prática e repetição…,

Ou podes assegurar que obténs qualidade e perícia através da “mestria progressiva”.

“Mestria progressiva”

A “mestria progressiva” difere muito da maneira como as pessoas na sua maioria encara o desenvolvimento de competências.

Normalmente as pessoas se interessam por uma ideia, experimenta fazer algumas vezes e depois avalia se é boa nisso!

Se acham que não são boas nisso, atribuem a inabilidade à falta de jeito natural ou mesmo de talento!

A maioria perante este cenário, desiste.

Mas aqueles que continuam pensam que necessitam de praticar mais pela repetição forçada para melhorar, na esperança de que, ao fazerem algo repetidamente, acabarão por se tornarem mais competentes e progredirem.

Mas a repetição raramente te conduz à Alta Performance e por isso é importante compreender a “mestria progressiva”.

Vou então partilhar contigo as 10 etapas da “mestria progressiva”:   

AS 10 ETAPAS DA “MESTRIA PROGRESSIVA”

  1. Estabelece uma competência que queres ou necessitas desenvolver e dominar.
  2. Define objetivos específicos e ambiciosos no percurso que determinares para desenvolver essa competência.
  3. Associa elevados níveis de emoção e de significado ao teu percurso e aos resultados a alcançar.
  4. Identifica claramente os fatores essenciais do sucesso e desenvolve os pontos fortes que possuis nesses domínios e paralelamente resolve as tuas fraquezas com igual determinação.
  5. Desenvolve visualizações nas quais imaginas claramente como é o sucesso e o fracasso e sente-as.
  6. Agenda práticas desafiantes trabalhadas por especialistas ou muito bem pensadas.
  7. Mede o teu progresso ao longo do percurso e pede opiniões externas avalisadas.
  8. Socializa a tua aprendizagem e esforços, praticando ou competindo com outras pessoas e arranja alguém, de preferência que já tenha desenvolvido essa competência, que te estimule!
  9. Continua a definir objetivos mais elevados, para progredir e melhorar.
  10. Ensina aos outros aquilo que está a aprender!

Estas dez etapas são mais amplas que as “práticas deliberadas” do mestre Anders Ericsson.

Mas quer estas quer a “mestria progressiva” implica arranjares um treinador, desafiares-te para além da tua área de conforto, desenvolveres representações mentais daquilo que o sucesso deveria ser para ti e monitorizar o teu progresso enquanto corriges as tuas fraquezas.

A “mestria progressiva” coloca toda a ênfase na emoção, na socialização e no ensino, sendo por isso mais estratégica e disciplinada na maneira como associa a emoção ao percurso, melhora as tuas capacidades ao treinar ou competir com outros e alavanca o poder extraordinário de ensinar para descobrir mais sobre o teu próprio trabalho

Claro que não precisa de encarar cada uma das competências novas com uma abordagem tão estratégica e disciplinada.

Muitas vezes é difícil encontrar um formador ou um mentor que possa dar a orientação adequada que necessita.

Podes também não ter a oportunidade de ensinar a outros o que estás aprendendo.

Pode ser difícil sair cada vez mais da área de conforto e intensificar mais ainda o trabalho para melhorar.

Mas e:

– Se “mestria progressiva” te trouxesse uma estrutura mais ponderada para os próximos esforços para desenvolveres competências?

– Se pudesses tornar-te um especialista na tua principal área de interesse?

– Se pudesses aumentar a tua produção prolífica de qualidade por teres aperfeiçoado as suas competências?

– Se conseguisses progredir pelas cinco etapas mais depressa pelo fato de seres competente e capaz?

– Se neste preciso momento decidisses procurar aquele nível seguinte de impacto e de mestria na tua Vida?

Uma única oportunidade

A vida é curta! Só nos é atribuído o tempo necessário para deixar uma marca! Se queres que seja significativa, deixa de produzir aquilo que não faz cantar a tua alma e não te orgulha nem impacta!

Decide o que é mesmo importante para ti, define as 5 etapas, faz acontecer!

A partir daí o mundo é teu!

Gostaste deste artigo? Partilha!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Pensamos que poderás gostar destes Artigos Relacionados com o que acabaste de ver!